Gestão mantém equilíbrio financeiro em meio à crise

Em meio à crise que levou R$ 1,1 bilhão do orçamento do Estado, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué Neto (PSD), adotou medidas que permitiram ao Parlamento honrar com seus compromissos sem paralisar suas atividades legislativas ou demitir servidores. A redução de contratos e serviços e o corte de despesas ajudaram a equilibrar as contas e a manter a saúde financeira da instituição.

Ao todo, foram três pacotes de contenção de gastos, debatidos e aprovados pelos deputados na medida em que a crise se agravou. A Aleam teve perda de  R$ 4 milhões no orçamento mensal, desde 2015. Segundo o presidente, as perdas não comprometeram o andamento das atividades legislativas e nem o salário dos servidores.

Entre as principais medidas de contenção estão suspensão das diárias dos deputados e servidores dentro do Estado, fretamento de aeronaves, comunicação visual, serviços de buffet, flores e acessórios usados em homenagens e sessões especiais na Casa, além da redução de 10% da Cota para Exercício de Atividade Parlamentar (Ceap) dos deputados e redução de 25% a 35% dos contratos com fornecedores e prestadores de serviços. A redução do horário de expediente em três horas, gerando economia de energia elétrica. De um mês para o outro, a Aleam economizou pelo menos R$ 34 mil nesse item, já que condicionadores de ar, computadores e a iluminação dos setores ficam ligados por menos tempo.

Mesmo com recursos limitados, Josué ressaltou que a Aleam não deixou de cuidar das pessoas, promovendo a valorização dos servidores do Parlamento adotada ainda no primeiro ano de sua gestão à frente da Aleam, quando foi concedida melhoria salarial com aumento real de 10%, além da revisão das gratificações. Manteve também os serviços de saúde e cursos de aperfeçoamento inalterados.

Compartilhe...