Aleam vai debater riscos da construção de um presídio federal no Amazonas

Foto: Filipe Augusto

O deputado estadual Josué Neto (PSD) solicitou, nesta quinta-feira (9), a realização de uma audiência pública para discutir os impactos da instalação de um presídio de segurança máxima em municípios do Amazonas. A audiência está marcada para o dia 24 de novembro.
Segundo o parlamentar, já existe um indicativo de que um presídio será construído no município de Iranduba (a 20 KM de Manaus) a partir de janeiro de 2018, e está orçado em R$ 45 milhões. Ele informou que inicialmente que era favorável a implantação do presídio em municípios do interior do Amazonas, mas foi alertado pelo Ministério Público do Estado sobre possíveis riscos dessa construção em uma área tão próxima a fronteira.
“Recebemos a informação de que já está sendo avaliada a instalação desse presídio federal e Iranduba e queremos aqui na Assembleia esclarecer e debater se essa estrutura representa algum risco social para a nossa população. Porque fomos alertados que sim”, afirmou.

O procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro, afirmou em entrevista à imprensa que vê com preocupação a construção de uma unidade de prisão federal “em qualquer município do Amazonas”. Para ele, a proximidade com as fronteiras e o isolamento dos municípios pode contribuir para o aumento da criminalidade no Estado.

“Um presídio aqui só vai beneficiar o crime organizado. O governo federal acena com investimentos e geração de empregos mas é muito pequeno isso comparado ao custo social. Um presídio atrai para a comunidade pessoas ligadas ao crime organizado”, afirma Monteiro.

O presídio federal deve ser construído no km 22 da estrada que dá acesso à obra da Cidade Universitária, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Hoje, o único impedimento para o início das obras é a realocação de famílias que ainda estão no terreno onde será construída a unidade prisional.

Compartilhe...