Em Sessão Especial, representantes das religiões de matrizes africanas e ameríndias pedem o fim da intolerância religiosa

Foto: Joel Arthus

Em Sessão Especial na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), representantes das religiões destacaram a importância do respeito as diferenças e pediram o fim da intolerância religiosa. O evento, proposto pelo presidente da Casa, deputado estadual Josué Neto, foi realizado na manhã desta terça-feira (4), no Parlamento, em comemoração ao dia das Religiões de Matrizes Africanas e Ameríndias, comemorado no dia 13 de maio.

Em seu discurso, Josué enfatizou a importância de combater o preconceito e conscientizar as pessoas para que respeitem as religiões de matrizes africanas e ameríndias.

“Não é a religião de uma pessoa que vai dizer se a pessoa é boa ou ruim. A sessão foi justamente para falar que essas religiões são importantes e tentar conscientizar as pessoas principalmente porque a maioria delas nasceu no seio de uma família que já tinha essa tradição religiosa. Estamos aqui para levantar a reflexão de que a sociedade moderna deve ter mais respeito, tolerância e compreender a escolha de cada um”, disse.

O presidente da Articulação Amazônica dos Povos Tradicionais de Matriz Africana (Aratrama), Alberto Jorge, defendeu a igualdade social e a aplicação das leis criadas para combater a intolerância religiosa. “Queremos que se cumpra o que diz a legislação. Respeito, igualdade de direitos, geração de emprego e renda para todos nós. Infelizmente ainda hoje vemos muitos casos de desrespeito e intolerância religiosa. Sabemos que para termos acesso a todos esses direitos é necessário que a gente saia do comodismo do terreiro”, disse.

O deputado Álvaro Campelo (PP), que falou em nome dos 24 deputados, elogiou Josué pela iniciativa da propositura. “Vossa Excelência demonstra o respeito por todas as matrizes religiosas, por todas as posturas políticas. E é isso que precisamos. Assegurar o respeito. O ser humano precisa ser respeitado”, afirmou o parlamentar.

Compartilhe...